9 fatores que influência a taxa do câmbio

Existem muitos fatores que determinam e influenciam qual a cotação direta da taxa do câmbio em um país específico como no Brasil e a taxa de câmbio mundial e, por consequência define qual a cotação do dolar que podem ser verificados especialmente nos bancos central.

As taxas de câmbio são determinadas por fatores mais conhecidos por todos como as taxas de juros, o índice de confiança, conta corrente no balanço de pagamentos, o crescimento econômico e as taxas de inflação relativas.

9 fatores que influenciam a taxa do câmbio

As taxas do câmbio mundial

Por exemplo:

  • Se as empresas americanas se tornassem relativamente mais competitivas, haveria maior demanda por produtos americanos; esse aumento na demanda por produtos dos EUA causaria uma valorização (aumento no valor) do dólar.
  • No entanto, se os mercados mundiais estivessem preocupados com o futuro da economia dos Estados Unidos, tenderiam a vender dólares, levando a uma queda no valor do dólar.

Observação sobre taxas do câmbio:

  • Apreciação = aumento no valor da taxa do câmbio
  • Depreciação/desvalorização = diminuição do valor da taxa de câmbio.

O que realmente influência as taxas do câmbio?

1. Inflação

Se a inflação no Brasil for relativamente mais baixa do que em outros lugares, as exportações se tornarão mais competitivas haverá um aumento na demanda por dólares ou reais para comprar produtos do Brasil. Além disso, os produtos estrangeiros serão menos competitivos e, portanto, os cidadãos do Brasil comprarão menos produtos importados.

  • Portanto, os países com taxas de inflação mais baixas tendem a ver uma apreciação no valor de sua moeda. Por exemplo, a valorização de longo prazo do marco alemão no período pós-guerra estava relacionada à taxa de inflação relativamente mais baixa.

2. Taxas de juros

Se as taxas de juros do Brasil aumentarem em relação a outros lugares, será mais atraente depositar dinheiro no Brasil. Você obterá uma melhor taxa de retorno ao economizar nos bancos do Brasil. Portanto, a demanda por reais aumentará. Isso é conhecido como “fluxos de dinheiro quente” e é um fator importante de curto prazo na determinação do valor de uma moeda.

  • Taxas de juros mais altas causam uma valorização.
  • Corte nas taxas de juros tende a causar depreciação.

3. Especulação

Se os especuladores acreditarem que o dólar aumentará no futuro, eles exigirão mais agora para poderem lucrar. Este aumento na demanda fará com que o valor aumente.

Portanto, os movimentos na taxa do câmbio nem sempre refletem os fundamentos econômicos, mas geralmente são impulsionados pelos sentimentos dos mercados financeiros. Por exemplo, se os mercados virem notícias que tornem mais provável o aumento da taxa de juros, o valor da libra provavelmente aumentará em antecipação.

Obs: “A queda no valor da libra após o Brexit estava parcialmente relacionada às preocupações de que o Reino Unido não atrairia mais tantos fluxos de capital fora da moeda única.”

4. Mudança na competitividade

Se os produtos brasileiros se tornarem mais atraentes e competitivos, isso também fará com que o valor da taxa do câmbio aumente. Por exemplo, se o Brasil tem melhorias de longo prazo nas relações do mercado de trabalho e maior produtividade, o bem se tornará mais competitivo internacionalmente e, a longo prazo, causará uma valorização do real. Este é um fator semelhante à inflação baixa.

5. Força relativa de outras moedas

Em 2010 e 2011, o valor do iene japonês e do franco suíço subiu porque os mercados estavam preocupados com todas as outras grandes economias – EUA e UE. Portanto, apesar das taxas de juros baixas e do baixo crescimento no Japão, o iene continuou se valorizando. Em meados da década de 1980, a libra caiu para uma baixa em relação ao dólar – isso se deveu principalmente à força do dólar, causada pelo aumento das taxas de juros nos EUA.

6. Balança de pagamentos

Um déficit em conta corrente significa que o valor das importações (de bens e serviços) é maior do que o valor das exportações. Se for financiado por um superávit na conta financeira/de capital, então não há problema. Mas um país que luta para atrair entradas de capital suficientes para financiar um déficit em conta corrente verá uma desvalorização da moeda.

7. Dívida governamental

Em algumas circunstâncias, o valor da dívida pública pode influenciar a taxa do câmbio. Se os mercados temerem que um governo possa dar o calote em sua dívida, os investidores venderão seus títulos, causando uma queda no valor da taxa de câmbio.

Por exemplo, se os mercados mundiais temer que os EUA não pagassem suas dívidas, os investidores estrangeiros venderiam seus títulos de dívida dos EUA. Isso causaria uma queda no valor do dólar.

8. Intervenção governamental

Alguns governos tentam influenciar o valor de sua moeda. Por exemplo, a China tem procurado manter sua moeda desvalorizada para tornar as exportações chinesas mais competitivas. Eles podem fazer isso comprando ativos em dólares americanos, o que aumenta o valor do dólar americano em relação ao Yuan chinês.

9. Crescimento econômico/recessão

Uma recessão pode causar uma depreciação na taxa de câmbio porque durante uma recessão as taxas de juros geralmente caem. No entanto, não existe uma regra rígida e rápida. Isso depende de vários fatores.

Quais são os tipos de taxa de câmbio?

Além dos tipos de câmbio, ainda há os tipos de taxa do câmbio. Nos próximos tópicos, explicamos cada um deles.

Taxa do câmbio nominal

Essa é a mais comum e conhecida pela população em geral. Representa o conceito simples que já explicamos: é o custo de uma moeda em relação a outra. Então, quando falamos que 1 dólar custa R$ 5,30 estamos nos referindo à taxa do câmbio nominal.

Ela varia de acordo com a oscilação das bolsas de valores que existem pelo mundo afora.

Taxa do câmbio real

Já nesse caso, os valores passam pela correção dos índices internos e externos de inflação.

Taxa do câmbio real efetiva

Esta, por sua vez, considera o grau de interferência de determinado país nos fluxos das transações comerciais.

Comprar dólar ou vender a poderosa moeda dos EUA pode durar por muitos anos e muitos anos até que aconteça o colapso da moeda, então, o mundo poderá quem saber ser um lugar muito diferente: um novo governo, uma nova cultura, uma nova sociedade, um novo modo de vida.

Mas seja qual for o futuro e qual influência posso causar a flutuação do câmbio, por enquanto a agenda monetária da elite permanece a mesma.

Você deva ficar atento ao próximo colapso econômico e as tendências do câmbio, e se você tiver feito um esforço extra para salvaguardar sua riqueza real, não se importará se houver crises.